“No amor não há medo. Antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.” I João 4.18

O que é medo? Sentimento de angústia, de apreensão em face de um perigo real ou imaginário.

Não há nada de anormal em sentir medo, afinal ele nasce com as pessoas e ninguém está imune a este sentimento, contudo, o medo que há em nós não deve preencher as lacunas do nosso coração.

O problema aparece quando somos paralisados pelo medo…

A nossa tendência natural é ter medo diante daquilo que desconhecemos, porém nós, como filhos amados de Deus, não devemos temer o futuro, pois Cristo deixa claro qual é o futuro que Ele tem preparado para nós.

“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês’, diz o Senhor, ‘planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” Jeremias 29.11

Não devemos temer a morte porque o Senhor também deixa tudo muito claro acerca do nosso destino.

“Eis que eu lhes digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta. Pois a trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados. Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal, se revista de imortalidade. Quando, porém, o que é corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: ´A morte foi destruída pela vitória´. I Coríntios 15:51-54

Então por que temos medo?

A resposta é facilmente encontrada em I João 4.18 “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”

Se o medo se apodera de nós de modo a nos paralisar, há algo errado. Ainda não compreendemos o amor em sua plenitude, nem fomos totalmente preenchidos pelo mesmo, ao contrário, temos permitido que o medo lance fora o amor que foi, e continua sendo, despejado sobre nós.

Talvez você precise lutar para sentir esse amor; lutar contra você mesmo, contra o seu coração enganoso, contra seus pensamentos, contra a sua própria natureza, afinal, o amor não vem do homem, o amor vem de Deus, aquele que é o próprio amor.

Nós somos o nosso maior inimigo, pois se de fato não sentimos o amor ou não nos aperfeiçoamos nele é porque criamos barreiras interiores, e até mesmo exteriores, para nos protegermos daquilo que nos gera medo. Afinal, supõe-se que temos medo daquilo que pode vir a nos ferir.

O antídoto para o medo é conhecer o amor em sua totalidade, o amor sendo aperfeiçoado em nós diariamente e constantemente.

Para que esse amor seja revelado a nós em sua completude, é necessário que façamos um exercício diário: “Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo.” II Coríntios 10.5

Quando o medo se apoderar de sua mente através de pensamentos negativos e contrários à vontade de Deus, confronte a si mesmo e, no poder de Deus, subjugue-o e saia vitorioso. Use suas armas espirituais transformando-as em ferramentas eficazes contra a covardia gerada pelo medo. Seja forte e corajoso. Todo medo foi vencido e derrotado por Cristo Jesus.

A cruz foi por amor, e no amor não há medo.

Não deixe que o medo te paralise, mas renuncie-o declarando que você quer viver a plenitude do amor que lhe foi conquistado por meio da figura de Jesus na cruz.

“Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; dispõe-me o coração para só temer o teu nome.” Salmos 86.11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *