São muitos os que querem tudo, sem dar nada em troca. Mas existe um princípio que é natural e espiritual, que é o princípio da semeadura: colheremos o que semearmos (Gal 6:7).

Deus não precisa de nós para realizar sua vontade, mas prefere nos usar. Ele abriu o Mar Vermelho, mas Moisés teve que estender sua vara. Jesus alimentou cinco mil de uma só vez, mas alguém teve que doar alguns pães e peixes. Houve obediência de pessoas, para que Deus cumprisse seu querer.

Se desejamos ser usados por Deus, precisamos aprender a obedecer e nos disciplinar o suficiente para seguir sua vontade. Para fazer sua obra, Deus usa pessoas disciplinadas, obedientes e diligentes. Pessoas que saibam de onde procede a unção e a quem se deve dar a glória por tudo o que estão fazendo. Deus não pode confiar algo tão precioso, como a edificação de sua igreja, a pessoas que somente desperdiçam o que o Espírito Santo lhes dá.

Temos urgência em levar o estandarte do Nome de Jesus a toda a terra. Somos seus embaixadores. Por isso, precisamos ser bons mordomos de tudo o que Ele nos dá, ainda mais sabendo que Ele está voltando. Também, precisamos aumentar nossos esforços, reconhecendo que é Deus que opera em nós seu querer e efetuar.

Por que desejar fama por fazer coisas com mediocridade? O que precisamos é mostrar ao mundo a excelência que Ele colocou em nós, usando diligência em tudo o que fazemos. De forma prática, dedicando tempo e estudo a cada um dos projetos que Deus nos desafia a empreender. A mentalidade “qualquer coisa está bom, porque Deus conhece meu coração” precisa acabar. Precisamos permitir que o nosso modo de pensar seja transformado. Porque é para a glória de Deus, que temos que fazer tudo com todas as nossas forças, com todo o nosso coração, nossa alma e nosso entendimento. Deus não se agrada com menos do que isso.

Em cada serviço que prestamos no reino de Deus, deveríamos poder mostrá-lo como se fosse uma obra de arte. Deus, quando criou todas as coisas, avaliava e concluía que tinha ficado bom. Como podemos avaliar nosso trabalho? Encontramos por aí certas coisas feitas a Deus de forma tão displicente, tão negligente, tão aquém da capacitação que o próprio Deus nos deu, que é vergonhoso.

A palavra diligência não significa somente o cuidado em fazer alguma coisa, mas também a permanência em ter cuidado ao fazer alguma coisa. Precisamos ser soldados diligentes, que buscam capacitação do Senhor, mas também se preparam da melhor maneira possível para o serviço.

Queremos que cada um de vocês mostre essa mesma prontidão até o fim, para que tenham a plena certeza da esperança,
de modo que vocês não se tornem negligentes, mas imitem aqueles que, por meio da fé e da paciência, recebem a herança prometida.
Hebreus 6:11-12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *