Para falarmos de Adoração precisamos falar de paixão

Nossa mente, conceitos, pré-conceitos e história não compreende o Amor de Deus e por conseqüência não consegue “reagir a este amor” (adorar).

Deus está à procura dos verdadeiros adoradores (Jo. 4:23), talvez porque nossa tendência natural desde o Éden é de nos escondermos de Deus.

Paulo escrevendo aos Corintios diz que quando nos convertermos receberemos a liberdade para adorarmos ao Senhor com nosso rosto descoberto para assim sermos transformados de fé em fé, de glória em glória (II Co.3:16 a 18), porém para adorarmos ao Senhor precisamos mergulhar em seu amor. Em I Jo. 4:16 a 21 diz:  “ Deus é amor e no seu amor não há medo e nós O amamos porque Ele nos amou primeiro”  e desta forma estendemos este amor ao nosso próximo para assim cumprirmos nosso chamado.

 Deus busca os que se escondem

Por vezes nos escondemos de Deus e isto nos impede de vê-lo de adorá-lo, porque para que isto ocorra é necessário termos nosso rosto descoberto. Encobrimos nossas falhas, defeitos e medos e depois nos sentimos sozinhos, pois o pecado nos esconde. Mas o Senhor quer nos achar no Jardim do Éden. Em Gn. 3:8 a 10 vemos o Senhor à procura do homem.

Deus esta a nossa procura, a procura da raça humana que cambaleia entre os desejos de se esconder, mas tem a necessidade de ser resgatado somado a uma grande indecisão de ser encontrado.

 Deus pergunta: onde estás? 

Deus é onisciente e sabia onde Adão estaria, mas Ele queria que Adão se apresentasse espontaneamente. Nosso Papai continua a nos procurar também espontaneamente.

Portanto precisamos decidir encontrarmo-nos com o Amor de Deus e deixarmo-nos ser encontrados por Ele.

Nossa decisão nesta jornada de nos rendermos ao Amor de Deus através de Cristo Jesus e da revelação de sua graça (favor não merecido) determinará a qualidade de nosso caráter, alma e adoração a um Deus que é Santo.

 Revelação da Graça e da Cruz

Não podemos falar sobre adoração, Paternidade de Deus sem falarmos sobre a revelação da graça de Deus que nos toca através de Jesus Cristo que é aquele que nos dá acesso ao Pai, pois a morte de Jesus  na cruz nos presenteou assim.

O milagre da graça precisará ser explorado (buscado e perseguido) por que somos ligados ao Ministério de Adoração para podermos ministrar a outros esta revelação.

Precisamos nos manter próximos da cruz para nos lembrar que o Amor que  nos sustenta vem da graça expressa no Calvário nos mantendo assim próximos da fonte da graça que é Jesus.

 O Pai procura Adoradores de corações abertos

O adorador que o Pai procura não se recusa a examinar-se, confessar seus pecados e defeitos e aceitar a palavra da graça de Deus.

Somos escolhidos, fomos separados e adotados como filhos através de Jesus para o seu louvor da sua gloriosa graça nos dada gratuitamente no nosso Amado (Ef. 1:5 a 7)

Desta maneira compreendemos que o entregar-se nas mãos deste Deus paternal l é entregar-se para cumprirmos nosso chamado, nosso destino.

O povo de Israel saiu do Egito para ir para uma boa terra mas teve neste processo que parecia ser tão rápido ( 300km) uma grande jornada e um grande trabalhar de um Deus eterno e paternal.

 Adoraremos ao senhor mesmo sem entendê-lo?  Mesmo nos caminhos difíceis?

Deus não tem pressa, mas sim propósitos. E por amor, por vezes ele adia o final de nossas histórias. Então nossa reação ao Amor de Deus (adoração) deve estar fundamentada em nossa experiência de Amor com Deus e não em sua rapidez em agir em nosso favor.

O verdadeiro  adorador que o Pai procura é aquele que O encontra no deserto, na aridez de nossa jornada, que com certeza, se nos entregarmos promoverá consistência e maturidade a nossa fé e exercício ministerial.

 “ O que você precisa é do Amor de Deus e não da aprovação das pessoas”

pra. Sonia Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *