“Eu quero te servir, eu quero te obedecer

Viver tua vontade, refletir tua verdade

Te honrar com minha vida, em tudo te adorar

Mestre, amigo, amado Jesus

Esse é o meu querer.”

Ouvindo muito essa música e refletindo, refletindo… Falamos tanto em viver uma vida de adoração, mas quantas vezes podemos nos sentir distantes disso. Comecei a escrever, ler, pesquisar textos bíblicos. Tenho falado para o Senhor que não quero ser incoerente. Quero que minhas palavras de adoração sejam condizentes com meu modo de viver. E Deus foi se manifestando, revelando sua misericórdia e amor. Ele deseja encontrar nosso coração. Compartilho com vocês…

Adoração como estilo de vida… Mas o que é isso? O que significa ter um estilo de vida que seja de adoração a Deus? Antes de responder esta questão, precisamos pensar em outra: O que significa Relacionamento com Deus?

Muitas pessoas acreditam que ir aos cultos aos domingos e frequentar uma célula é suficiente para desenvolver um relacionamento com Deus. Talvez vejam isso como a parte que lhes cabe para a busca por Deus e o que Deus espera delas.
Isso não é diferente para músicos e obreiros na casa do Senhor. O músico também corre o risco de cair numa rotina mecânica de participar dos ensaios, reuniões, ministrar durante os cultos e eventos. E seu relacionamento com Deus pode se resumir a isso.

Isaías 57:15: Pois assim diz o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é santo: “Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito.

O propósito de Deus ao criar o homem era que este tivesse plena comunhão com Ele. O Senhor ‘ia até o jardim’, para conversar com Adão. Era assim que o homem cultuaria e se relacionaria com Deus. E o homem só é capaz de ser completo e feliz, quando em plena comunhão com o seu Criador.

O pecado fez com que essa comunhão deixasse de ser perfeita e plena. Mas Jesus já se ofereceu como sacrifício único e suficiente para que nosso acesso a Deus esteja totalmente livre (Heb 10:10-14).

Na reunião aos domingos, como família de Deus, nós celebramos o memorial que o Senhor Jesus instituiu e anunciamos a Sua morte até que Ele venha. É o momento que nos reunimos como corpo, cultivamos a comunhão entre os irmãos, celebramos juntos, compartilhamos a palavra etc. Mas não acaba aí.

No Velho Testamento, o culto a Deus envolvia sacrifícios no templo, pelo menos duas vezes por dia, buscando perdão de pecados, purificação ou simplesmente para mostrar gratidão.

No Novo Testamento, a mulher samaritana tira a dúvida com o próprio Jesus sobre onde se deveria adorar a Deus. Seria em um lugar específico? Seria no templo, em Jerusalém? Seria no monte?
Os samaritanos criam que o monte Gerizim era especialmente sagrado e o lugar ideal para adoração, pois fora o monte no qual as bênçãos foram pronunciadas aos antepassados. Mas os judeus criam que o lugar para adoração era Jerusalém. Jesus responde a pergunta à mulher samaritana e a todos nós. Ele não dá importância à questão referente ao lugar de adoração: os verdadeiros adoradores adoram ao Pai em espírito e em verdade, sem depender de lugar e hora (João 4.19-24), pois seus corpos são templos de Deus (1 Co 6.19).
Jesus também revela outra coisa muito importante à mulher samaritana: “Vocês adoram o que não conhecem”- João 4:24. Isso é uma crítica que Jesus faz ao modo como os samaritanos adoravam, pois eles não conheciam a quem adoravam. E nisso, temos um ensinamento de Jesus para nós. Para adorarmos ao Senhor, precisamos conhecê-lo. Para conhecê-lo, precisamos nos relacionar com Ele.

A questão é que Deus é Pai. E o que Ele espera de nós é um relacionamento de pai para filhos e filhos para Pai. A ideia de ir aos cultos aos domingos, como se isso fosse a maneira de encontrar-se com Deus, está equivocada. Deus não habita em casas feitas por mãos de homens. Deus habita em meio ao seu povo.

Romanos 12.1 nos ensina a oferecermos o nosso corpo como culto a Deus, como um sacrifício vivo, santo e agradável.

Rom 12:1 – Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.

Isso significa que o modo como uso meu corpo, minha alma e o meu espírito no dia a dia deve ser motivo de adoração ao Senhor. Tudo o que há em mim deve ser ofertado a Deus em sacrifício vivo, santo e agradável. ‘Vivo’ significa presente, constante. ‘Santo’ é sem pecado. E ‘agradável a Deus’ envolve fazer, falar, pensar de forma que Lhe agrade e não fazer, não falar, não pensar de forma que Lhe desagrade. Tiago nos explica tudo isso, bem resumidamente, quando diz Tornai-vos, pois, praticantes da palavra, e não somente ouvintes” (Tiago 1:22).

Concluindo, viver uma vida de adoração é ser praticante da Palavra, é ser imitador de Cristo (Ef 5:1-2). Viver uma vida de adoração é viver uma vida de amor ao próximo e este amor deve ser demonstrado em todas as atitudes com as pessoas, lembrando que não é somente o ‘fazer o mal’ que é pecado, mas que deixar de fazer o bem também é pecado. É abandonar todas as obras de trevas, isto é, aquilo que você faz e que ninguém vê, buscando santidade e pureza em seus caminhos. Viver uma vida de adoração é entregar tudo, simplesmente tudo, a Deus: sua família, seu trabalho, seus planos, seus sonhos, seus direitos, seu tempo, sua razão, seus bens, tudo. Também é entender que precisamos fazer tudo como se fosse ao Senhor, isto é, o nosso melhor, buscando excelência e aceitação do Senhor e não de homens. Viver uma vida de adoração é ser imitador de Jesus e continuar suas obras, tendo a mesma atitude de servo que Ele teve, não se importando com posições de destaque, mas se importando em trazer o reino de Deus. É também ter o cuidado para que nossas palavras sejam agradáveis, assim como as nossas atitudes e a meditação do nosso coração.

Ore agora, para que o Senhor lhe revele as áreas da sua vida que precisam ser transformadas por Ele, para que você seja cada dia mais parecido com Cristo.

Seja prático. Precisamos ser coerentes no nosso falar e nosso agir. Depois de orar, escreva o que você precisa melhorar e comece a agir de maneira diferente. Compartilhe com alguém de sua confiança e peça para ela te ajudar, tanto em oração, como te acompanhando.

Deus abençoe sua vida! Que você seja cada dia mais parecido com Cristo!

Gisele K Sgarbi Ribeiro

video clip original  da música: O meu querer

3 thoughts on “Alimento Diário

  1. Roey disse:

    y!Maravilhosa rfleexao! O amor de Deus e inexplicavel. Durante milhares de anos tem alcancado pecadores em todo o mundo e ainda alcancara todos quanto o aceitarem.E ponto final! Um abraco!

  2. Marcelo Rodolpho disse:

    Que Benção essa palavra…..Falou muito comigo, sempre oro para os ministros de louvor de nossa igreja….para que sempre cantem pro senhor, e não pra sí mesmos…..e isso tem acontecido em nossa igreja.Deus abençoe esse ministério maravilhoso.

  3. Cleacir Alencar Sá disse:

    Que palavra edificadora.
    Que venhamos ter de fato uma vida em Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *