Hoje é dia de celebrarmos a Páscoa, ou melhor todo dia deveríamos celebrá-la. O povo judeu comemora a páscoa até hoje como lembrança da libertação de seu povo da escravidão do Egito. No Novo Testamento, a Páscoa alcança uma amplitude maior e definitiva; não era somente um povo que estava sendo liberto de uma escravidão física, mas agora é toda a humanidade que encontra a libertação de uma sentença eterna de viver separado de Deus. Jesus, o Emanuel, o Deus conosco, vem, assume a forma de homem, habita entre nós espalhando as boas novas do Reino de Deus, e entrega a sua vida numa cruz, como sacrifício vivo, como pagamento, pela minha e pela sua vida; e três dias após ressuscita dentre os mortos para definitivamente romper o véu que nos separava de Deus. Que prova de amor!
Infelizmente uma grande parte da humanidade prefere ignorar este evento, prefere transformá-lo em um mero feriado de lazer, um álibi para satisfazer alguns de seus prazeres culinários, prefere torná-lo um evento religioso composto de simbolismos vazios que emocionam mas não transformam nosso interior e não nos conduzem pra próximo de Deus. Jesus não está morto sobre um carro de procissão, ele não está morto numa cruz, ele está sentado a direita de Deus Pai e intercede por nós.

Nesta Páscoa estamos estudando o quinto mandamento – “ honras teu pai e tua mãe”. Por que será que Deus colocou esse como um de seus mandamentos? Eu arrisco a dizer que é porque Ele sabia de como o homem facilmente esquece-se de honrar aqueles que estão ao seu lado. Vivemos em tempos onde cada vez mais deixamos de honrar nossos familiares, professores, pastores, líderes, autoridades e por conseqüência: Deus. Segundo o dicionário Aurélio honra é consideração e homenagem à virtude, ao talento, à coragem, às boas ações ou às qualidades de alguém. Quando Jesus institui a ceia ele diz que era para a praticarmos em memória Dele. Ao participarmos da ceia do Senhor nos recordamos de quem Jesus foi, o que Ele fez e o que Ele é para nós hoje; da mesma forma o fazemos na Páscoa trazendo a memória o alvo da nossa consideração, homenagem. A honra é algo a ser praticado no nosso dia a dia, como palavras, com atitudes, com o coração. Deveríamos permear nossa vida honrando as pessoas que Deus colocou ao nosso lado, para nos corrigir, ensinar, amar. Ao deixarmos de fazer isso com pessoas também o fazemos com Deus.

A Páscoa é um boa oportunidade de honrarmos a Deus e a nossa família, pois trata-se de uma celebração que devia ser feita em família, cada uma devia ter o seu próprio cordeiro pascal, e se a família fosse pequena deveria junta-se a outra em comunhão ( Ex 12:4). Da mesma forma a Páscoa nos lembra o livramento familiar que ainda hoje está presente nas casas cujo sangue do Cordeiro de Deus está aspergido nos seus corações.

A Páscoa tinha um caráter pedagógico (“ quando seus filhos perguntarem…”,) é um momento de ensino, de memorial. Hoje, estando em famílias que possamos nos honrar, celebrar, ensinar e DESENVOLVER nosso relacionamento com Deus e com as pessoas próximas que o Senhor colocou ao nosso lado.

Pr. Fernando Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *